o ENEM e a Transição 2016 – 2017

Tornou-se um marco divisório.
Hoje, 18 de janeiro, foram divulgadas as notas do ENEM 2016.
Nos últimos dias e principalmente nas últimas horas, a ansiedade tomou conto de mais de 7 milhões de jovens e de mais alguns milhões de pessoas, pais, amigos, professores, aguardando as notas, fazendo as contas, trabalhando hipóteses, pedindo orientações quanto as inscrições, SISU, ProUni e etc…
Em meio a essa situação é bastante natural aqueles que ficaram decepcionados, tristes e mesmo desesperados.
Percebendo um pouco essa situação fiz um post em minha página no Facebook, que reproduzo a seguir:

Me lembro desse dia. Começo de 1981.
A expectativa da lista.
Sair de manhã cedinho pra comprar o jornal e ver a lista que ocupava umas 20 páginas. Me sentei na guia da calçada e o coração batia cada vez mais forte. Meu segundo ano de vestibular, agora prestando para História, me sentindo na obrigação de entrar…
Difícil imaginar agora o “e se eu não tivesse entrado?”
A resposta que daria hoje, 36 anos depois com certeza é diferente da que eu daria na época. Mas imagino que tentaria de novo; por uma série de razões que inclui a “estabilidade de classe média” e o apoio de meus pais para as minhas decisões já naquela época.
Hoje a lista do ENEM cria uma grande expectativa em milhões de jovens, como eu em 1981, então com 18 anos.
A expectativa gera aflição natural, o ENEM é hoje a grande porta de entrada das principais Universidades do país e abre diversas outras possibilidades.
Ao contrário, ter que estudar para outro exame daqui meses parece destinar o jovem a tortura.
Lembrem-se, apesar da grande importância do vestibular nesse momento, ele é apenas um momento. Alegria ou tristeza passarão e a vida exigirá de você novas decisões.
Não é o ingresso que garantirá sua realização profissional.
Não é o ingresso que garantirá seu sucesso.
Não é o ingresso que garantirá sua felicidade.
É sua ATITUDE, a cada momento da sua vida
É sua DECISÃO.
Contem sempre comigo!!!

Professor Claudio Recco