Redação nota 1000 no ENEM

A prova de Redação do Enem é ótima para começar a praticar.

Primeiramente, porque demonstra claramente a importância de uma redação
em uma prova de vestibular: como vale 1000 pontos, ela dá aos candidatos uma chance matematicamente real de perseguirem essa pontuação, o que não acontece na prova objetiva.

A conclusão disso é: uma redação nota mil ou próxima de mil aumenta a nota global e as chances de uma boa colocação.

A segunda vantagem em começar a praticar redação por meio do modelo Enem é o fato dele ele seguir um padrão de temas nada abstratos, que facilitam a vida do candidato: são sempre problemas sociais que têm soluções praticáveis.

No pacote de problemas sociais pode-se colocar questões de ordem cultural e ambiental: lembre-se de que, em uma sociedade complexa, as
questões culturais causam entraves e polêmicas, assim como o meio ambiente, que é o espaço onde essa sociedade estabelece suas relações.

Além disso, a estrutura formal clássica de introdução, dois argumentos e intervenção facilita a organização mental no texto para quem ainda não se sente confortável escrevendo.

Em uma introdução, recomenda-se objetividade. Apresente o tema já na primeira linha. Aproveite a frase-tema, divida-a em partes analisáveis e declare-as para o seu leitor. Opine, mostre que você está iniciando um raciocínio autoral sobre aquela grande questão.

Para a argumentação, recomenda-se dois parágrafos: é melhor aprofundar e detalhar duas boas ideias do que apresentar uma lista superficial de três aspectos relacionados ao tema. É uma simples questão de estratégia, já que o Enem oferece 30 linhas e que elas são de menor dimensão do que as 30 linhas de uma folha de caderno.

Em cada argumento, retome as partes analisáveis que você anunciou na introdução: a declaração A deve ser retomada no parágrafo A, e a declaração B, no parágrafo B. Isso facilita o planejamento do texto e a leitura do corretor. Lembre-se: argumentos são feitos de opiniões e de exemplos que as expliquem e defendam.

A intervenção é sempre uma questão angustiante, já que vale, sozinha, 200 pontos. Mas, se o candidato planejar seu texto consciente de toda a estrutura lógica que o Enem demanda, ela se torna bastante simples.

Veja, se toda intervenção é para o problema abordado, necessariamente o candidato deverá ter defendido, na argumentação, que há um problema.

Quanto mais claro e específico for esse problema, mais fácil fica encontrar quem vai resolvê-lo, o que e como deve ser feito para resolvê-lo, e quais efeitos positivos essa solução vai trazer para o entrave.

Aqui, a dica é estudar e entender, ao longo do ano, como funcionam os processos de tomada de decisão no país e, nas intervenções, apresentá-los de maneira clara e objetiva.

Um último ponto fundamental no estudo de Redação é manter o equilíbrio entre prática frequente, objetivo alto e expectativa baixa. Redação se aprende devagar e constantemente. Notas baixas são muito comuns e são também o espelho daquilo que precisa ser melhorado.

Não espere uma linha constantemente ascendente nas notas. Elas vão oscilar, porque você está praticando muitas habilidades ao mesmo tempo e, às vezes uma se sobressai, às vezes, fraqueja. E isso faz parte do processo.

Pratique com, pelo menos, uma redação por semana. Entenda a correção, tire suas dúvidas, anote seus pontos fortes e os que precisam ser fortificados. É fundamental que você perceba seus pontos fortes e valorize-os.
Reescreva suas redações, essa é a melhor maneira de compreender seus erros e transformá-los em oportunidades de amadurecimento do seu texto.

Profa. Cora dedica-se à pesquisa e ao ensino de Redação pré-vestibular há nove anos.
É professora de cursinho e também leciona no Exata, curso de reforço para matemática, física e redação.
www.facebook.com/curso.exata