A importância do Planejamento para o Vestibular

A importância do planejamento do estudo para o vestibular está ligada a três fatores:

– a melhora da administração do tempo,

– o aumento do foco e da produtividade,

– a conquista do equilíbrio emocional.

É fundamental que você tenha certeza de que planejar é decisivo e
não é perda de tempo; ao contrário, o planejamento te permitirá um ganho de tempo que você não imagina.

O planejamento não envolve apenas as atividades ligadas ao estudo de determinadas matérias, mas a organização geral de seu tempo cotidiano, fato que, para os jovens, implica em redefinir os tempos destinados às redes sociais.

O quão difícil é assistir a uma única aula de 50 minutos sem olhar para o smartphone?

É fundamental perceber que, se você perde a concentração devido a uma obra ao lado de sua sala de aula, ou um animal fazendo barulho, também perde a concentração pensando e checando quais recados você recebeu ou o que alguém postou nas redes sociais.

Ao começar uma sessão de estudos, mesmo na escola, é necessário organizar o ambiente e o material, reunindo tudo que precisará, assim economizará muito tempo que ficaria interrompendo para ir buscar algum material, um copo de água ou ajustando a iluminação de forma mais adequada. Sem contar o tempo que cada interrupção requer para você retomar o nível de concentração nos estudos!

Com planejamento você garante maior aproveitamento de seu tempo e descobrirá inclusive alguns horários a mais, que antes você não percebia.

Planejar os estudos aumenta a eficiência do processo de assimilação na medida em que você definiu previamente o que, como, e quando vai estudar.

Todo esse processo é possível a partir de uma preparação prévia, de análise de seus últimos resultados, percebendo dificuldades e facilidades, pontos fortes e fracos.

No entanto a organização dos estudos pressupõe a definição de objetivos e metas, ou seja, onde quer chegar em termos de estudo, em quanto tempo e de que forma.

E é exatamente essa última parte a decisiva: de que forma?
Aqui entra a definição das metas, que nada mais é do que o “passo-a-passo” dos seus estudos, é a fragmentação de seu objetivo em partes que possam ser mensuradas, quantificadas.

A quantificação deve ser medida por dois componentes:
1) o mais fácil e menos importante: pelo cumprimento dos horários e das tarefas, seja no avanço das matérias como na quantidade de exercícios resolvidos

2) o mais difícil e mais importante: perceber o real aprendizado e o quanto a matéria estudada vai se tornando mais fácil com o passar do tempo. Qualidade.

Normalmente os simulados cumprem uma parte dessa função e não é necessário estar matriculado em um cursinho para realiza-los, eles existem gratuitamente em diversas instituições e sites e, em último caso, o próprio estudante pode monta-lo, não como treino de aproveitamento de tempo, mas como indicador do aprendizado de determinados conteúdos.

Consideramos que o Equilíbrio Emocional é o elemento chave no ano de vestibular. E também é o mais complexo para nossa compreensão e obtenção.

É natural que nesse ano as cobranças, as dúvidas, os desafios aumentem. É natural que a autoconfiança e a autoestima sejam colocadas em xeque, fazendo com que o estudante duvide de seu potencial e minimize suas possibilidades de conquista.

O Equilíbrio Emocional deve ser trabalhado ao longo de todo ano, em grande parte está associado à eficiência dos estudos, mas também aos elementos psicológicos. É fundamental chegar ao final do ano, no momento do vestibular, com a certeza das forças que desenvolveu e as condições para aplica-las.

 

Dependa apenas de você. Faça o seu melhor. Saiba mais sobre PLANEJAR

Prof Claudio Recco (quem é?)