Ansiedade e Planejamento

Muitos estudantes de pré-vestibular manifestam essa condição, fruto das pressões às quais são submetidos, parte delas imperceptíveis.
Um dos fatores mais simples da ansiedade é a grande carga de informações, exigências e tarefas a que são submetidos e,

ao não conseguirem realizar, aumentam a auto-cobrança, pois ao não realizarem parte do que se propuseram, têm a percepção de que a preparação se atrasa e que, a cada dia, ficam para trás em relação aos concorrentes.
Se não podemos mudar o vestibular e os concorrentes, podemos e devemos nos aperfeiçoar a cada momento e isso significa não apenas aumentar o ritmo de estudos e obter mais informações, mas saber lidar com elas e com a carga de cobrança às quais estão submetidos. Isso significa dizer que um vestibulando precisa de duas coisas: o conteúdo cobrado pelo exame vestibular e equilíbrio emocional que lhe permita assimilar esse conteúdo e saber utilizá-l0.
Há alguns poucos anos o psicanalista estadunidense Daniel Goleman desenvolveu um novo conceito, que se difundiu e foi assimilado por muitas instituições e educadores – a Inteligência Emocional (QE) – e uma das grandes vantagens das pessoas com inteligência emocional é a capacidade de se automotivar e seguir em frente, mesmo diante de frustrações, obstáculos e desafios, em busca daquilo que definiu como objetivo num determinado momento de sua vida.
Segundo o psiquiatra Dr. Augusto Cury – um dos defensores do QE no Brasil -, vivemos a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), em geral estamos todos passando por um período em que tudo é rápido, onde vivemos estressados, buscando informações 24 horas por dia e para um vestibulando essa carga se multiplica.
Existem diversos caminhos para se desenvolver a inteligência emocional e, de uma forma geral, todos passam pelo processo de auto-conhecimento, que permite gerenciar o stress e a ansiedade. No caso do pré-vestibular um dos caminhos mais simples, no sentido de sua objetividade, é o planejamento.
Isso não significa que realizar um planejamento e segui-lo a risca seja algo simples, no entanto é mais simples, rápido e possui grande eficiência num momento especifico da vida do estudante. O planejamento de estudo focado no vestibular seguramente reduz a ansiedade, além dos demais benefícios que pode produzir.
No caso do controle da ansiedade, ter um planejamento, ou seja, organizar previamente as tarefas que devem ser desenvolvidas todos os dias, considerando as necessidades e principalmente as possibilidades de execução, garantem não apenas a direção correta a seguir, mas o ritmo correto, com tarefas exequíveis num determinado tempo, com a metodologia correta, aperfeiçoando gradualmente os estudos de forma a combinar quantidade e qualidade.
Se o cotidiano do estudante foi organizado e planejado de forma correta, de forma que possam ser cumpridas as tarefas definidas para cada dia e para cada semana, não apenas a ansiedade diminui, com a autoconfiança aumenta.
Neste ano de 2017 ampliei minhas experiências com planejamento de estudos e a percepção é cada vez maior no sentido da necessidade urgente na busca de equilíbrio entre a necessidade de estudo de um vasto conteúdo e o equilíbrio emocional e para isso desenvolvemos técnicas específicas, em grande parte apoiadas na experiência de 30 anos como professor de curso pré-vestibular com técnicas e ferramentas de coach.
*A ansiedade é provocada por diversos fatores e em alguns casos requer um tratamento clínico.