A3 – Compreender o papel Histórico das Instituições

Competência de área 3 – Compreender a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais.

H.11 – Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço.
H.12 – Analisar o papel da justiça como instituição na organização das sociedades.
H.13 – Analisar a atuação dos movimentos sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder.
H.14 – Comparar diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre situação ou fatos de natureza histórico-geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas.
H.15 – Avaliar criticamente conflitos culturais, sociais, políticos, econômicos ou ambientais ao longo da história.

Aqui encontramos o maior espectro de temas tradicionais do ensino de História e que tem grande relevância no ENEM, principalmente os movimentos sociais, suas ideais e mobilizações (H.13).

Analisar, refletir, compreender as diversas instituições e suas relações com diferentes grupos sociais ao longo do tema é uma competência ampla, que envolve grande diversidade e complexidade, ainda mais contemplando os movimentos sociais.
Os elementos que mais se destacam aqui são a organização do Estado e a de Instituições Religiosas, em especial a Igreja Católica e, consequentemente a relação destas instituições com a sociedade, no processo de dominação / sujeição, assim como sua contestação.

No entanto as rupturas de estruturas políticas não estão necessariamente vinculadas a processos revolucionários ou a rebeliões populares, principalmente na História do Brasil. As grandes mudanças institucionais como a Independência e, posteriormente, a Proclamação da República não foram produtos de revoluções, mas devem ser compreendidas a partir dos interesses de grupos sociais envolvidos.
No caso da Independência, os grandes proprietários rurais interessados em manter os portos abertos e, no caso da República, o exército e os cafeicultores do oeste paulista.

– conheça a Área 1 – Elementos culturais e identidades

Mesmo assim, é importante lembrar que as comparações históricas são muito comuns e, nesses dois casos, as comparações com outras nações americanas se destacam, seja com os Estados Unidos, ou com países da América Espanhola.
Do ponto de vista mais tradicional, quando o estudo se desenvolve com um livro didático ou apostila, esses temas são abordados em capítulos diferentes e muitas vezes os estudantes são fazem as conexões / comparações pertinentes.

O período republicano por sua vez é subdividido a partir de critérios políticos e as definições e transições também são fundamentais.
Por exemplo:
– Quais a principais características definem a “República da Espada”?
– De que forma as Oligarquias se mantiveram no poder e quais interesses contribuíram para sua derrocada?
– Quais as principais características do modelo populista?
– Quais os principais antagonismo envolvidos na crise do populismo e na implantação do regime militar?
– A quais interesses nacionais e internacionais o regime militar esteve associado?

Essas situações devem ser percebidas dentro do “espírito” do ENEM, ou seja, trabalhar dentro do conteúdo programático do ensino médio, mas buscando não o conhecimento factual do estudante, mas suas habilidades.

Note que das 5 habilidades da área 3, apenas a primeira exige “identificação”, portanto mais presa ao conhecimento; as demais exigem análise, comparação e avaliação. Em muitos casos a confecção das questões toma por base um ou dois textos, portanto, a leitura atenta e a capacidade de entendimento são fundamentais.

Quer saber mais sobre a prova do ENEM, clique no banner abaixo e venha para nosso grupo no facebook

grupo-facebook-historia